Cecília Vilas Boas

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

o sábio...




O sábio alicerça a sua casa em silêncio e benevolência.
Lavra o caminho
O estreito, porque o largo desmorona-se por si só
Prepara o seu coração, lar onde habita o amor
Grita da dor aos ventos que passam

Por ser simples e humilde aceita a voz do entendimento
Não olha o escarnecedor nem o ímpio nem os afronta
E o alvoroço dos que se dizem almas grandes, não escuta

Ouve, ao invés, as águas remansadas da quietude e pacifica
Escuta o Senhor por isso é sábio e justo

O sábio conhece os simples e puros de coração
Perdoa os que o condenam
Mas guarda nos seus ensinamentos a verdade

O sábio cresce com a dor provocada pelas injúrias dos seres pequenos
E em retiro ora...

O sábio afasta-se do algoz que não profere palavras
Mas que tem um coração onde a traição enraíza
Tal como enraíza a hera nos muros dos cemitérios

O sábio colhe estrelas nos olhares da verdade
E semeia ventos de amor na íris dos fiéis

O sábio...



Cecília vilas Boas