Cecília Vilas Boas

sábado, 29 de janeiro de 2011

Vigilia

Altas horas da noite.
Acordado,
Rememoro o passado,
Analiso o presente
E adivinho o futuro.
Procuro,
Humanamente,
Dar sentido
Ao que fui,
Ao que sou
E ao que serei.
Mas a minha verdade
Não tem a claridade
Da razão.
É esta aflição
Continuada
Que no meu coração
Bate descompassada.

Miguel Torga

Sem comentários:

Enviar um comentário