Cecília Vilas Boas

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O teu retrato

Recordo a tua voz
Era doce,
o teu sorriso,
feito de tons subtis,
teu perfil,
teu nariz.
Desenho sem querer
a tua boca.

Faço um retrato de ti,
a lápis de carvão.
desenho teu cheiro,
o teu abraço
Construo com uma régua,
ao milímetro a paixão.
Não ponho cores no teu retrato
Fica assim..
singelo,sem aparato.

E já sem me lembrar
porque te quis pintar
vou-te pondo à cor que tinhas.
Um leve tom púrpura rosáceo
um quê de nada ácido
um pequeno toque de ouro nas pupilas.

Mais uma linha
no teu rosto de marfim
um leve retoque nos lábios,
no teu beijo acobreado,
no teu desejo tom de carmim

E no fim...
Aí no fim...
Rasgo-te em mil pedaços

[Poema de Alexandra Bello Patronilho in Azul Profundo]


[Foto Olhares.com]

Sem comentários:

Enviar um comentário