Quem sou

A criança que fui chora na estrada.
Deixei-a ali quando vim ser quem sou;
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou.
Ah, como hei-de encontrá-la?
Quem errou
A vinda tem a regressão errada.
Já não sei de onde vim nem onde estou.
De o não saber, minha alma está parada.
Se ao menos atingir neste lugar
Um alto monte, de onde possa enfim
O que esqueci, olhando-o, relembrar,
Na ausência, ao menos, saberei de mim,
E, ao ver-me tal qual fui ao longe, achar
Em mim um pouco de quando era assim.

Fernando Pessoa

Comentários

  1. Intenso, como todos os poemas de Fernando Pessoa. Maravilhoso!
    Bom final de semana!
    Abraço :)

    ResponderEliminar
  2. Também gosto muito de F.Pessoa.
    Obrigada pela visita Nádia :)
    Bom final de semana para você também!
    Abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares