Cecília Vilas Boas

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Estou só.
Ressoam vozes, gargalhadas, gritos.
Vivo em espiral, correndo num turbilhão, atropelada por aqueles que sabem ou pensam saber qual a sua missão nesta vida.
Estico a mão, mas não sou vista.
Corro como todos. Sou pressionada a fazê-lo.
Mas quem pára este mundo, quem pára a roda viva do sarcasmo?
Quem mostra indulgência?
Continuo na neblina ansiosamente à espera dum rasgo de sol.
No meio do ruído dificilmente se ouve o silêncio.
Apenas se ouve o som ensurdecedor proferido pelos soberanos.
Quais são os valores do mundo?
Estou só.
Sou só.



OA.S

Photo by Sascha Hüttenhain








6 comentários:

  1. Este poema tocou-me profundamente!
    Tenho um irmão com esquizofrenia e ao lê-lo recordei-me de tantas vezes ele descrever esta sensação de estar só, apenas acompanhado por vozes.
    Sei que não é de loucura (enquanto ausência de saúde mental) que fala no seu poema, mas para mim foi inevitável a associação.
    Acho que é esta a magia da poesia:cada um senti-la à sua maneira.
    Um beijo carinhoso e obrigada pelo convite!

    ResponderEliminar
  2. Sandra, bem vinda ao meu cantinho, fico muito agradecida de ter aceite o meu convite.
    Não há dúvida que é através da poesia que conseguimos transmitir muitas vezes o que sentimos.
    Nunca vivi de próximo nenhum caso semelhante ao do seu irmão, mas do pouco que sei sobre essa doença, penso que deve ser bastante complicado.
    Mas, também nós, mesmo sem qq tipo de problema, vivemos muitas vezes atordoados com as vozes reais que se atropleam, passando ao lado do que é realmente importante.
    Um beijinho e volte sempre.

    ResponderEliminar
  3. Queria poder ter no meu blog no link directo para o seu oceano, mas não consigo(dá sempre erro).
    Mas não vou deixar de acompanhar....
    Beijos mil

    ResponderEliminar
  4. Lamento, mas deve ser por ser privado...
    Terei muito gosto em que me visite sempre.
    Também o seu blog é bastante interessante, consegue transmitir o que lhe vai na alma, acompanhá-lo-ei sempre que possa!
    Felicidades

    ResponderEliminar
  5. Consegui chegar ao seu "oceano"!

    Obrigada pelo convite e por seguir meus "Gritos"!

    Todos estão sós...somos apenas atordoados pelos ruídos!

    Chegamos sós e assim partiremos!

    Belo poema,belo blog,virei mais vezes!!

    Um beijo!

    Sonia Regina.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada Sonia por chegar até aqui, fico feliz!
    Será sempre bem vinda.
    Parabéns pelo seu blog!
    beijinhos

    ResponderEliminar