Cecília Vilas Boas

quarta-feira, 27 de abril de 2011

majestosa viajem...


Fascinada pela sua beleza e imponência, força e coragem
a galope por entre campos, livre no tempo e no espaço, quero paz.
Breves flashes da minha vida surgem entre ventos e espelham memórias.
Ao seu ritmo, meio selvagem e com porte soberbo
a trote ou a galope, bebo esperança, vislumbro paisagens
por terra ou à beira-mar, protegida pelo seu poder
em perfeita conjugação com a natureza
deixo a realidade de lado e visto-me de sonho.
Liberdade de espírito, desejo sem nome
sem explicação ou entendimento
deixo o corpo suspenso na leveza do momento.
Cavalo selvagem, leva-me contigo
transporta o meu ser ao infinito
dá-me força e coragem para continuar
neste mundo onde não me identifico.

OA.S




16 comentários:

  1. Há algo na aparência de um cavalo que é bom para a interioridade do homem (Winston Churchill)

    ResponderEliminar
  2. Paolo, acredito e sinto que a presença do cavalo transmite algo de muito forte ao homem.
    Adoro cavalos.
    Abraço
    oa.s

    ResponderEliminar
  3. "O cavalo recuou batendo as patas, varreu com a cauda as ervas altas que absorviam os restos da humidade ainda conservada na margem do rio pelo abrigo que os ramos pendentes faziam, cortina àquela hora negra. O rio estava reduzido ao fio de água que corria na parte mais funda do leito, entre pedras, de longe em longe aberta em charcos onde sobreviviam e ansiavam peixes. Havia no ar uma humidade que prenunciava chuva, tempestade, decerto não nesse dia, mas no outro, ou passados três sóis, ou na próxima lua. Muito lentamente, o céu aclarava. Era tempo de procurar um esconderijo, para descansar e dormir.
    O cavalo teve sede. Aproximou-se da corrente de água, que estava como parada sob a chapa da noite, e quando as patas da frente sentiram a frescura líquida, deitou-se no chão, de lado."

    Foi assim, nesse estado que o outro cavalo se aproximou e lhe contou que uma bela menina lhe pediu. Contou palavra por palavra: "leva-me contigo transporta o meu ser ao infinito
    dá-me força e coragem para continuar
    neste mundo onde não me identifico." A parte de homem do cavalo deitado, Centauro, lhe respondeu com voz dorida. "Deixa-a ficar. É de gente não identificada com o mundo o que o mundo mais carece. Se não, como poderá ele mudar?"

    Assino-me
    José Saramago Disfarçado

    ResponderEliminar
  4. Lindo texto querida amiga.
    Um grande bj

    ResponderEliminar
  5. Vestir-se de sonhos nessa realidade do mundo altual é a melhor coisa que podemos fazer para que nosso sorriso valha a pena... :)

    Lindíssimas palavras OAS..

    ResponderEliminar
  6. Rogério, provocou-me um brilho nos olhos, lágrimas talvez, qual sentimento por definir. Adorei o seu texto, muito obrigada!!
    José Saramago ficaria, por certo, muito honrado.
    abraço
    oa.s

    ResponderEliminar
  7. Obrigada Janaina, é com o sonho, sempre, que tento abastrair-me de muitas coisas que se passam à minha volta e me deixam muito infeliz.
    beijinho
    oa.s

    ResponderEliminar
  8. Le cheval est le meilleur ami de l'homme. Il ressent ton inquiétude, ton amour pour lui. Il saura te montrer son affection.

    ResponderEliminar
  9. Trabalho em Alter do Chão, terra do cavalo lusitan.
    Estás convidada para vir um dia à Coudelaria.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. I cavalli, da sempre, ispirano un senso di libertà. Buona notte, cara amica.

    ResponderEliminar
  11. Richard, je pense qu'il est très sensible. Pour moi le cheval c'est synonyme de liberté aussi.
    Un salut
    oa.s

    ResponderEliminar
  12. Sandra que convite tentador :) muito obrigada!!
    beijinho
    oa.s

    ResponderEliminar
  13. Dona, também sinto isso, força, liberdade e sensibilidade, talvez o que mais caracteriza este animal.
    Buona notte cara amica.
    oa.s

    ResponderEliminar
  14. Imponência e bons passos...

    Belo querida!!^^

    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Obrigada querida Suzana, é sempre bom ler-te :)
    beijinho
    oa.s

    ResponderEliminar