Cecília Vilas Boas

domingo, 10 de abril de 2011

Ser poeta ...

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de infinito!
Por elmo, as manhãs de ouro e de cetim…
É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente…
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!


Florbela Espanca






8 comentários:

  1. Que ao receber este
    pequeno gesto de carinho,
    você saiba que alguém
    neste momento, se lembrou
    o quanto você é importante...
    Que as distâncias sejam sempre superadas,
    por algo que não se mede, nem pelo tempo,
    nem pelo espaço...
    http://lh6.ggpht.com/_XSaM8qfWLVo/SYxwV-V2YjI/AAAAAAAABn0/1wlKtJSoaRc/s400/0ae082dc.png

    ResponderEliminar
  2. Deise, você me preencheu de felicidade. São pequenos gestos que nos fazem chegar lágrimas aos olhos...como eu estava a precisar...
    obrigada querida.
    ao.s

    ResponderEliminar
  3. "to condense the world into a single cry" . . . if i could!!! steven

    ResponderEliminar
  4. Florbela sempre me Espanca com as suas deliciosas palavras que chegam como furacão em nossas almas...

    Perfeito!!!

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Suzana, Florbela Espanca é dos poetas que dorme à cabeceira da minha cama. Adoro!
    bjs
    oa.s

    ResponderEliminar
  6. Linda musica, tão profunda. Por um momento me perdi ouvindo-a.
    bjs

    ResponderEliminar
  7. Francy's bem vinda!!
    Também mergulho nesta musica e com asas de condor voo no sonho infinito.
    bj
    oa.s

    ResponderEliminar