Cecília Vilas Boas

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

saberás sempre que te amo...

Sinto o teu respirar
Mesmo quando não estás
Saberás sempre que te amo
Numa asa, num sopro de vento
Detenho os meus olhos no infinito

Na beleza das cores que me ensinaste
Mesmo nesta lonjura de sermos
E nos dias sem te ter
Não estás distante de mim, um só momento
Estarei à tua espera nas estações do tempo
No sítio onde o coração adormece
E a tua imagem me invade os sonhos
Só para não me deixar morrer.


Cecília Vilas Boas







michal lukasiewicz

5 comentários:

  1. As estações do tempo são infinitas, trilho do amor! abraços

    ResponderEliminar
  2. Cecília você é minha poeta favorita ....gosto muito dos seus escritos.
    Obrigado pela visita...abraços

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga


    Além de recolher a inspiração
    deste maravilhoso espaço
    de sentimentos e amizade,
    aproveito a visita para convidá-la
    a partilhar a alegria,
    de ouvir um poema de minha autoria
    musicado em Minas Gerais.

    O mesmo se encontra no meu blog
    www.sonhosdeumprofessor.blogspot.com.br

    e para mim,
    ter este poema
    escutado por pessoas
    que fazem do mundo virtual,
    um mundo melhor,
    será um tributo a felicidade

    ResponderEliminar
  4. Me alegra verte de nuevo. Preciosos versos Cecilia.
    Un beso.

    ResponderEliminar
  5. Great article, Thanks for your great information, the content is quiet interesting. I will be waiting for your next post.

    ResponderEliminar