Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2011

lançamento do meu livro...

Imagem
Meus Queridos Amigos, estarei ausente durante algum tempo... vou lançar um livro no dia 17 de Dezembro e preciso preparar o momento. Agradeço-vos muito, todo o apoio em palavras que me têm deixado ao longo deste ano, são bálsamo e carinho, muito embora de forma virtual, a corrente que se gerou teve e tem uma força enorme em mim, nesta partilha de sentimentos, de amor à poesia, fotografia, e outros interesses comuns... Para aqueles que ainda não sabem, o meu nome é Cecília. Continuarei a ser OA.S, aqui, neste Oceano... É com enorme prazer que Convido todos aqueles que quiserem estar presentes neste dia. Um forte abraço OA.S Never Is A Promise - Fiona Apple

Lídia Borges...

Imagem
Lançamento do livro de Lídia Borges um momento mágico... No Espanto Das Mãos                     O Verbo Editora Lua de Marfim Voltas "Voltas assim, serenamente, Poesia como se dançasses descalça sobre o musgo do jardim. Fada vestida de véus feitos de seda e cetim..." Lídia Borges Neste livro, um mundo de palavras que alimentam a Alma A não perder... http://searasdeversos.blogspot.com/2011/11/lancamento.html

e porque hoje é uma daquelas noites...

Imagem
...quero perder os sentidos e ondular a minha alma na melodia que me transporta para os confins do universo e me deixa lá, suspensa,  iluminando a escuridão do meu silêncio. Nesta atmosfera onde o místico me envolve, permanecerei, sem pressa de voltar... OA.S

estrela do mar...

Imagem
Jorge Palma: "Estrela do Mar" Numa noite em que o céu tinha um brilho mais forte E em que o sono parecia disposto a não vir Fui estender-me na praia sozinho ao relento E ali longe do tempo acabei por dormir Acordei com o toque suave de um beijo E uma cara sardenta encheu-me o olhar Ainda meio a sonhar perguntei-lhe quem era Ela riu-se e disse baixinho: estrela do mar Sou a estrela do mar Só ele obedeço, só ele me conhece Só ele sabe quem sou no principio e no fim Só a ele sou fiel e é ele quem me protege Quando alguém quer à força Ser dono de mim Não sei se era maior o desejo ou o espanto Só sei que por instantes deixei de pensar Uma chama invisível incendiou-me o peito Qualquer coisa impossível fez-me acreditar Em silêncio trocámos segredos e abraços Inscrevemos no espaço um novo alfabeto Já passaram mil anos sobre o nosso encontro Mas mil anos são poucos ou nada para a estrela do mar